Páginas

"Durma com ideias, acorde com atitude!"

MATEMÁTICA DE MENDIGO


Tenho que dar os parabéns ao estagiário que elaborou essa pesquisa, pois o resultado que ele conseguiu obter é a mais pura realidade.



Preste atenção...

Um sinal de trânsito muda de estado em média a cada 30 segundos (trinta segundos no vermelho e trinta no verde). Então, a cada minuto um mendigo tem 30 segundos para faturar em media pelo menos R$ 0,20, o que numa hora dará: 60 x 0,20 = R$12,00.






Se ele trabalhar 8 horas por dia, 25 dias por mês, num mês terá faturado: 25 x 8 x 12 = R$ 2.400,00.

Será que isso é uma conta maluca?

Bom, 12 reais por hora é uma conta bastante razoável para quem está no sinal, uma vez que, quem doa nunca dá somente 20 centavos e sim 30, 50 e às vezes até 1,00.

Mas, tudo bem, se ele faturar a metade: R$ 6,00 por hora terá R$1.200,00 no final do mês.

Ainda assim, quando ele consegue uma moeda de R$1,00 (o que não é raro), ele pode descansar tranqüilo debaixo de uma árvore por mais 9 viradas do sinal de trânsito, sem nenhum chefe pra 'encher o saco' por causa disto.

Mas considerando que é apenas teoria, vamos ao mundo real.

De posse destes dados fui entrevistar uma mulher que pede esmolas, e que sempre vejo trocar seus rendimentos na Panetiere (padaria em frente ao CEFET ). Então lhe perguntei quanto ela faturava por dia. Imagine o que ela respondeu?

É isso mesmo, de 45 a 55 reais em média o que dá (25 dias por mês) x 45 = 1.125 ou 25 x 55 = 1375, então na média R$ 1.100,00 e ela disse que não mendiga 8 horas por dia.

Moral da História :

É melhor ser mendigo do que estagiário (e muito menos PROFESSOR), e pelo visto, ser estagiário e professor, é pior que ser Mendigo...

Se esforce como mendigo e ganhe mais do que um estagiário ou um professor.

Estude a vida toda e peça esmolas; é mais fácil e melhor que arrumar emprego.

E lembre-se :

Mendigo não paga 1/3 do que ganha pra sustentar um bando de ladrão.

Viva a Matemática.

Que país é esse?

por EMAIL josi lima

“AS BODAS DO CORDEIRO”


Segundo o dicionário eletrônico Houaiss, BODAS significa “enlace matrimonial, casamento” e também “festa ou banquete com que se celebram as núpcias”. Assim como as bodas dos tempos bíblicos tinham duração de sete dias, as Bodas do Cordeiro também durarão sete dias, cada dia representado por um ano. Assentar-nos-emos à mesa com Cristo. Cada um terá o seu lugar preparado, e mais, a ordem de honra se dará, cremos, de acordo com a disposição dos galardões. Quanto maior glória, mais próximos de Cristo à mesa. Quando as festas das bodas encerrarem-se, na terra haverá passado sete negros anos. Jesus então voltará outra vez a este planeta, desta feita tocará a terra, para tratar dos assuntos em Armagedom.

As Bodas e a “Terceira Etapa da Primeira Ressurreição”

Esta terceira etapa da primeira ressurreição alcançará os que forem salvos durante a“Grande Tribulação” e terão sido mortos por ordem da besta. Além desse grupo, que formam um grupo em especial (os mártires) estariam incluídos nessa ressurreição os JUDEUS fiéis da Antiga Aliança.

Vejamos as palavras do profeta Isaías 26.19-20:
“Os vossos mortos e também o meu cadáver viverão e ressuscitarão; despertai e exultai, os que habitais no pó, porque o teu orvalho, ó Deus, será como o orvalho de vida, e a terra dará à luz os seus mortos. Vai, pois, povo meu, entra nos teus quartos e fecha as tuas portas sobre ti; esconde-te só por um momento, até que passe a ira.”

Observa-se que o grupo de santos que ressuscitaram neste período da Grande Tribulação não participa das bodas. Tal acontecimento terá lugar no epílogo dessa dispensação, já à entrada do milênio.Os mártires são aqueles que venceram a besta e compõem a grande multidão vestida de vestes brancas que chegam ao céu.

“(...) Estes são os que vieram de grande tribulação, lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro”. (Ap 7.14)

Já ao final de sua visão João descreve um grupo que foi morto (decapitado) por não adorar a besta e nem receber a sua marca. Os componentes deste grupo reviveram e voltaram para reinar com Cristo no milênio:

“E vi tronos; e assentaram-se sobre eles aqueles a quem foi dado o poder de julgar. E vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na testa nem na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos”.

Fraternalmente em Cristo,
Ângelo dos Santos Monteiro

"pois eu lhe mostrarei quanto lhe importa sofrer pelo meu nome". (At 9.16)


A chamada para o ministério cristão é uma chamada para o sofrimento. Viver segundo a palavra de Deus e pregar esta palavra implica em muitas perseguições e dores. Paulo foi um claro exemplo dessa realidade. Em 2 Coríntios 11.24-28 alguns desses sofrimentos são listados:

- Muitos trabalhos

- Muitas prisões

- Açoites sem medidas

- Perigos de morte

- Trinta e nove chicotadas em cinco ocasiões

- Três pisas com vara

- Um apedrejamento

- Três naufrágios

- 24 hs boiando no mar

- Muitas jornadas

- Perigos de ladrões

- Perigos de rios

- Perigos de perseguições por judeus e não-judeus

- Perigos na cidade

- Perigos nos desertos

- Perigos em alto mar

- Perigos entre os falsos irmãos

- Muitos trabalhos e canseiras

- Muitas noites sem dormir

- Fome e sede muitas vêzes

- Falta de casa, comida e roupa

- Muitas preocupações com as igrejas do Senhor


O conforto de Paulo estava em seu modo de lidar com o sofrimento: "Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós." (Rm 8.18)