Páginas

"Durma com ideias, acorde com atitude!"

Breve história da ortografia portuguesa


No bairro da ortografia os meninos   encontraram  uma dama de origem grega, que  tomava conta de  tudo.

- Bom dia, minha senhora! – disse   Quindim  fazendo  uma  saudação de cabeça muito desajeitada. – Trago  aqui  sobre o meu  lombo  dois meninos e  uma   boneca, que desejam conhecer a   vida deste bairro.

9 congresso de missões .

Apocalipse

Eu, João, irmão vosso e companheiro convosco na aflição, no reino, e na perseverança em Jesus, estava na ilha chamada Patmos por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus. Eu fui arrebatado em espírito no dia do Senhor, e ouvi por detrás de mim uma grande voz, como de trombeta, que dizia: O que vês, escreve-o num livro, e envia-o às sete igrejas: a Éfeso, a Esmirna, a Pérgamo, a Tiatira, a Sardes, a Filadélfia e a Laodiceia.

Livro de Daniel



O Livro de Daniel é um livro do Antigo Testamento, cujo título é derivado do nome do profeta[1] Daniel, a quem a autoria é atribuída tradicionalmente, nas bíblias cristãs como por exemplo na Tradução Brasileira da Bíblia, vem depois do Livro de Ezequiel e antes do Livro de Oseias. Alguns trechos são escritos em hebraico (1:1-2:3;8:1-12:13)[2] e a maioria em aramaico (2:4-7:28)[2], havendo também as adições em grego (versículos 24 a 90 do cap. 3 e caps. 13 e 14).

FAX DO NIRSO

UM GERENTE DE VENDAS RECEBEU O SEGUINTE FAX DE UM DOS SEUS NOVOS VENDEDORES:
"SEO GOMIS, O CRIENTE DE BELZONTE PIDIU MAIS CUATRUCENTA PESSA. FAZ FAVOR TOMÁ AS PROVIDENSSA.
ABRASSO, NIRSO."

APROXIMADAMENTE UMA HORA DEPOIS, RECEBEU OUTRO:
"SEO GOMIS, OS RELATÓRIO DI VENDA VAI XEGÁ ATRAZADO PROQUE TÔ FEXANDO UMAS VENDA. TEMO QUE MANDÁ TREIS MIR PESSA. AMANHÃ TÁ XEGANO."
ABRASSO, NIRSO."

Testemunho da irma


EU ERA APENAS UMA CRIANÇA...

Tinha apenas oito anos de idade,mas me lembro até hoje cada palavra de uma briga entre meu pai e minha mãe.

Três Falhas na Visão da Igreja Moderna sobre a Pessoa de Deus

Falha 1 - O DIABÓLICO DESEJO DE QUERER MANDAR EM DEUS - O Deus Sujeito.
É comum vermos em nossos dias uma verdadeira confusão com relação a doutrina da Soberania de Deus dentro das igrejas modernas. Logo na abertura de alguns cultos evangélicos hoje, especialmente neopentecostais, têm visto uma forma arrogante de se relacionar com o Senhor. Suas reuniões, cultos, iniciam-se com frases do tipo: “Eu determino...”, “Eu declaro...”, “Eu ordeno...”, e outras frases de orações que têm virado rotina não só na abertura, mas no meio e no final do culto também.

Que história é esta?





Pra que tanto mito ou tanto “oba oba” em cima de algo que não tem como mudar? Tanta gente perdendo tempo, querendo entender algo que não se pode achar entendimento? Gente acabou, é o fim! Mataram o verdadeiro evangelho, criou-se um novo, novo mesmo, cheio de facilidades com portas largas, daquelas que passa de tudo!

Questão de escolha......

PV 6.16-19
“Esta seis coisas aborrecem Senhor”, 
E a sétima a sua alma abomina: olhos 
Altivos, língua mentirosa, e mãos que.
Derramam sangue inocente; coração que. 
Maquina projetos iníquos, pés que se. 
Apressam a correr para o mal;
testemunha. 

PAULO TESTIFICA DE CRISTO EM ROMA



Penso ser interessante para o professor da EBD, num primeiro momento, trazer para o seu aluno um pouco da história de Roma. As informações desta primeira parte deste subsídio foram tiradas da Wikipédia (Roma Antiga. Disponível em http://wikipedia.org. Acesso em 22/03/2011). O uso de um mapa da viagem de Paulo a Roma se torna um recurso didático necessário para essa lição.

hermenêutica..



Assim como o método texto-prova gozou de relativa hegemonia em muitos círculos evangélicos no passado, também o método histórico-critico atingiu uma condição semelhante entre os intérpretes eruditos do século 20.

Livro de Ezequiel




Ezequiel é um dos livros proféticos do Antigo testamento da Bíblia, vem depois do Livro das Lamentações e antes do Livro de Daniel.[1][2] Possui 48 capítulos.Ezequiel, era um sacerdote[3] que foi chamado para profetizar durante o Exílio do povo judeu naBabilônia, tendo exercido sua atividade entre os anos 593 a 571 AC[3]. Diz-se que fundou uma escola de profetas e que ensinava a Lei à beira do Rio Kebar[4] que corta a cidade de Babilônia.São curiosas as visões que o profeta teve sobre a glória de Deus e os sinais que aconteceram em sua própria vida demonstrando a ação de Deus são fortes e marcantes. Ezequiel perdeu a sua esposa como sinal da queda de Jerusalém.A comunidade, em meio à qual ele vivia, acreditava que em breve tudo voltaria a ser como antes, para seus contemporâneos o projeto de Deus era mero sistema que lhe dava segurança.Ezequiel, no entanto, sabe que o sistema passado estava agonizando de maneira irrecuperável, pois Jerusalém seria destruída.Segundo ele, a sociedade sofria de doença crônica e incurável, pois havia abandonado o projeto de Javé em troca de uma vida luxuosa e fascinante. Por isso, Ezequiel vê o próprio Deus deixando o Templo (11:22-24) e largando os rebeldes ao bel-prazer dos amantes.Isso era causa de sofrimento para o profeta, mas não de desânimo e desespero. Para ele, o futuro seria de ressurreição (caps. 36-37) e novidade radical. Com sua linguagem simbólica, Ezequiel indicava os passos para a construção do mundo novo:Assumir a responsabilidade pelo fracasso histórico de um sistema que se corrompeu completamente, provocando a ruína de toda a nação.Compreender que a simples reforma de um sistema corrompido não gera nenhuma sociedade nova; apenas reanima o velho sistema que, cedo ou tarde, acabará sempre nos mesmos vícios.Converter-se a Javé, assumindo o seu projeto; e, a partir daí, construir uma sociedade justa e fraterna, voltada para a liberdade e a vida.Com esse programa profético, vislumbrava-se um futuro novo: Deus voltaria para o meio de seu povo (43:1-7), provocando o surgimento de uma sociedade radicalmente nova. Aí todos poderão participar igualmente dos bens e decisões que constroem a relação social a partir da justiça. Desse modo, todos poderão reconhecer que a partir desse dia, o nome da cidade será: Javé está aí (48:35)[3].A doutrina deste profeta tem por núcleo a renovação interior: é preciso criar para si um coração noivo e um espírito novo (18:31); ou ainda, o próprio Deus dará "outro" coração, um coração "novo", e infudirá no homem um espírito "novo" (11:19; 36:26)[5].Ezequiel dá origem à corrente apocalíptica, suas grandiosas visões antecipam as de Daniel e as do autor de Apocalipse[5].

wikipedia.org


AS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO.


Nesta 12ª Lição, que trata sobre as viagens missionárias de Paulo, devido a grandeza e extensão das mesmas (precisaríamos de um trimestre inteiro para estudá-las com maior profundidade e detalhes), me deterei em extrair lições práticas de alguns eventos.

COMISSIONADOS PELO ESPÍRITO SANTO

"Havia na igreja de Antioquia profetas e mestres: Barnabé, Simeão, por sobrenome Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço de Herodes, o tetrarca, e Saulo. E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Separai-me, agora, Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, jejuando, e orando, e impondo sobre eles as mãos, os despediram. Enviados, pois, pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre. " (Atos 13.1-4)

A chamada de Paulo e Barnabé para a obra missionária é um grande referencial para nós na atualidade. Observemos alguns princípios:

- E, servindo eles ao Senhor e jejuando

Paulo e Barnabé já estavam envolvidos com várias atividades na igreja, antes de serem comissionados para a obra missionária. Já testemunhei a "chamada" de pessoas para obra que não estavam envolvidos com nenhuma atividade na greja local, além de estarem acomodados em relação aos estudos e trabalho secular.

Há muitos na igreja querendo trabalhar em tempo integral apenas visando segurança e estabilidade financeira. Os homens e as mulheres de Deus que ao longo da Bíblia e da história foram chamados para grandes obras, estavam envolvidos com atividades diversas na igreja ou fora dela (Êx 3:1-10; Jz 6.:1-14; 1 Sm 16.1-13; Mt 4.:8-22, e etc). Deus chama trabalhadores para a sua obra, e não preguiçosos e acomodados.

Eles jejuavam com regularidade. Paulo e Barnabé eram mestres, que juntamente com os demais líderes e obreiros da igreja em Antioquia entendiam a importância espiritual do jejum. Oração e jejum são práticas necessárias para o equilíbrio entre intelectualidade e espiritualidade, saber e poder espiritual (Mt 6:16, 17:21, etc) .

- Disse o Espírito Santo

Nos dias atuais o Espírito Santo deixou de ser ouvido em muitas separações de obreiros e de líderes, para as mais diversas atividades na igreja. Quem "diz" agora, em muitos casos, não é mais o Espírito, mas as circunstâncias ou os interesses pessoais. A voz do Espírito está sendo sufocada, negligenciada e calada. A razão? Muitos dos que hoje são diáconos, presbíteros, evangelistas, pastores ou que exercem outras funções ou ministérios na igreja, nunca foram chamados e comissionados pelo Espírito, pois são escolhas de homens, feitas pelas mais diversas razões e interesses. Quem não é chamado pelo Espírito não servirá, não produzirá e não realizará a obra que apenas os vocacionados e capacitados por Ele podem realizar (Lc 4:18; At 10:38; 20:28, etc).

- Separai-me, agora, Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado

No grego, a expressão "separai-me" (aforisate de moi), literalmente "separai par mim", nos revela que a separação para a obra missionária, ou para qualquer outro ministério e serviço é uma separação "para" o Espírito, ou seja, o separado está agora sob o cuidado, orientação e à inteira e plena disposição do Espírito (At 16:6-10; 20:22-24 e etc). Como é bom quando temos a convicção de que foi o Espírito quem nos enviou ou nos comissionou para realizarmos a sua obra(At 13:4).

PAULO E BARNABÉ NÃO BUSCAM E NEM ACEITAM A GLÓRIA HUMANA

"Em Listra, costumava estar assentado certo homem aleijado, paralítico desde o seu nascimento, o qual jamais pudera andar. Esse homem ouviu falar Paulo, que, fixando nele os olhos e vendo que possuía fé para ser curado, disse-lhe em alta voz: Apruma-te direito sobre os pés! Ele saltou e andava. Quando as multidões viram o que Paulo fizera, gritaram em língua licaônica, dizendo: Os deuses, em forma de homens, baixaram até nós. A Barnabé chamavam Júpiter, e a Paulo, Mercúrio, porque era este o principal portador da palavra. O sacerdote de Júpiter, cujo templo estava em frente da cidade, trazendo para junto das portas touros e grinaldas, queria sacrificar juntamente com as multidões. Porém, ouvindo isto, os apóstolos Barnabé e Paulo, rasgando as suas vestes, saltaram para o meio da multidão, clamando: Senhores, por que fazeis isto? Nós também somos homens como vós, sujeitos aos mesmos sentimentos, e vos anunciamos o evangelho para que destas coisas vãs vos convertais ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que há neles; o qual, nas gerações passadas, permitiu que todos os povos andassem nos seus próprios caminhos; contudo, não se deixou ficar sem testemunho de si mesmo, fazendo o bem, dando-vos do céu chuvas e estações frutíferas, enchendo o vosso coração de fartura e de alegria. Dizendo isto, foi ainda com dificuldade que impediram as multidões de lhes oferecerem sacrifícios." (At 14.8-18)

Assim como nos dias de Paulo, multidões diariamente desejam "sacrificar" aos pregadores da atualidade. A mentalidade idólatra é a mesma. O pior é que muitos aceitam e promovem o sacrifício a si mesmos. Em vez de impedir as multidões, incentivam as mesmas. Quanto mais idolatrados, mas gostam, mas querem, mais desejam.

Em plena sociedade do espetáculo, influenciados por uma cultura narcísica, muitos pregadores buscam ansiosamente pela glória do púlpito, pela fama, pela glória humana.

Os referenciais bíblicos são mais uma vez necessários, para que toda uma geração de novos pregadores possa retornar à palavra, tendo-a como modelo e referência para o ministério da pregação.

Observemos também o exemplo de Pedro:

"No dia imediato, entrou em Cesaréia. Cornélio estava esperando por eles, tendo reunido seus parentes e amigos íntimos. Aconteceu que, indo Pedro a entrar, lhe saiu Cornélio ao encontro e, prostrando-se-lhe aos pés, o adorou. Mas Pedro o levantou, dizendo: Ergue-te, que eu também sou homem." (At 10.24-26)

Pedro, o primeiro a pregar após o derramar do Espírito em Pentecostes, com um ministério marcado por curas e libertações, ao ser recebido pelo centurião Cornélio, foi adorado pelo mesmo, mas não alimentou tal atitude, pelo contrário, ordenou que se levantasse, pois era homem tanto quanto ele, falho imperfeito e limitado. Pedro entendia que era a graça de Jesus que operava por sua vida. Hoje, ao contrário de Pedro e Paulo, muitos pregadores buscam adoradores para si mesmos.

Que os pregadores, missionários, pastores e demais líderes da atualidade possam aprender com os grandes exemplos de Pedro e Paulo.

A RUPTURA COM BARNABÉ

"Decorridos alguns dias, disse Paulo a Barnabé: Tornemos a visitar os irmãos por todas as cidades em que temos anunciado a palavra do Senhor, para ver como vão. Ora, Barnabé queria que levassem também a João, chamado Marcos. Mas a Paulo não parecia razoável que tomassem consigo aquele que desde a Panfília se tinha apartado deles e não os tinha acompanhado no trabalho. E houve entre eles tal desavença que se separaram um do outro, e Barnabé, levando consigo a Marcos, navegou para Chipre. Mas Paulo, tendo escolhido a Silas, partiu encomendado pelos irmãos à graça do Senhor. E passou pela Síria e Cilícia, fortalecendo as igrejas." (Atos 15. 36-41)

Isso mesmo, Paulo e Barnabé se desentenderam e se separaram. Até homens de Deus se desentendem e se separam. Cada um seguiu o seu caminho. Qual dos dois foi o rebelde? Qual dos dois deixou de ser abençoado por Deus em razão da "divisão"? Qual dos dois era o menos espiritual?

Estou aqui fazendo apologia a qualquer tipo de desentendimento ou divisão? Deus me guarde disso! Sei que há na igreja milhares de divisões promovidas e mantidas por Satanás e seus demônios. Há ainda outras divisões, resultado do desejo cego de alguns homens pelo poder ou para tirar alguma vantagem pessoal da situação.

Há também divisões causadas e mantidas por uma vida de baixa moral e de péssimo testemunho por parte daqueles que fazem o "ministério" ou a "liderança". Há muitas igrejas que surgiram da ganância, da opressão e da arrogância de líderes inchados, sectários, pretensiosos, vaidosos e pedantes, que não respeitam o próximo, não sabem conviver com diferenças de opiniões, que não conversam e discutem, que tentam impor a força os seus caprichos ou pontos de vistas. A postura desses líderes, não apenas gera divisão, mas fomenta, alimenta e perpetua as já existentes.

A Bíblia nos recomenda: "se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens;" (Rm 12.18)

EM DIREÇÃO À...

Um outro fato notório nos dias atuais é a abertura de alguns trabalhos, por certos líderes que afirmam estar na direção do Espírito. É vergonhoso o qua acontece no Brasil, quando igrejas são abertas com o claro interesse de se ganhar dinheiro ou por mera competição. Todos os dias, inclusive noticiado em plena televisão, os "donos" de algumas igrejas anunciam que estão abrindo novos trabalhos para "abençoar o povo de Deus" e "ganhar almas para Jesus".

Minha pergunta é bem direta: Por qual razão tais ministérios e líderes só abrem trabalhos nas principais cidades do país, nos melhores bairros e avenidas? Por quais motivos não abrem os trabalhos nas regiões economicamente carentes, geograficamente distantes e missionariamente esquecidas? A resposta é que buscam visibilidade. Estão a procura de grandes e lucrativos "negócios". Isso mesmo, igreja, para muitos já virou negócio faz tempo e são abertas como se abre uma loja ou um comércio qualquer. Tudo é pensado "estrategicamente". A visão não é a do Espírito, é a empresarial. É bem provável que você já tenha sido convidado para congregar ou contribuir financeiramente na qualidade de "sócio" de um destes ministérios e líderes.

Antigamente, nas Assembleias de Deus no Brasil, o trabalho se iniciava em localidades onde não havia ainda igrejas ou crentes, geralmente na casa de algum irmão. Hoje, nas Assembleias de Deus, o trabalho é aberto em lugares onde já há muitos crentes, onde já existe uma igreja estabelecida, bem organizada e atuante. Uma Assembleia de Deus é aberta ao lado ou bem próximo de outra.

Grandes templos são construídos, por pura vaidade, competição ou para dar "o troco". Os templos monumentais voltaram a ser símbolos do poder de quem os constrói, monumentos erguidos à memória de seus edificadores:

"Disseram: Vinde, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo tope chegue até aos céus e tornemos célebre o nosso nome, para que não sejamos espalhados por toda a terra." (Gn 11.4)

"Ora, Absalão, quando ainda vivia, levantara para si uma coluna, que está no vale do Rei, porque dizia: Filho nenhum tenho para conservar a memória do meu nome; e deu o seu próprio nome à coluna; pelo que até hoje se chama o Monumento de Absalão." (2 Sm 18.18)

"falou o rei e disse: Não é esta a grande Babilônia que eu edifiquei para a casa real, com o meu grandioso poder e para glória da minha majestade?" (Dn 4.30)

Precisamos de grandes espaços? Em alguns casos sim. Quanto isso acontecer, a construção não deve abusar do luxo.

Enquanto por aqui (nos grandes centros urbanos) dinheiro, energia e tempo são jogados no lixo pelo orgulho e vaidade humana, milhões no mundo não foram ainda alcançados pela obra missionária. Não ouviram a mensagem do Evangelho.

Que a direção do Espírito seja retomada por todos nós e urgentemente.

Que os princípios bíblicos voltem a orientar o nosso modelo de fazer missões.

Que o exemplo de abnegação, coragem, fé e poder de Paulo e Barnabé estejam presentes na vida de cada missionário.
;

Acredite se Quiser





Na primeira postagem do nosso evento "Acredite se Quiser" trago à vocês 38 das muitas curiosidades à respeito do corpo humano, já que bem como, estamos em época de carnaval é sempre bom se cuidar e manter o corpo em forma !
38 Curiosidades sobre o Corpo Humano:

1. É verdade que não se consegue digerir o chiclete, mas se engolires um, ele não se cola ao estômago, por isso, não faz mal engoli-lo.
2. Ao lamber um selo se consome 1 décimo de caloria.
3. O nosso estômago tem de produzir uma nova camada de muco de 2 em 2 semanas. Caso contrário digeria-se a ele próprio.
4. É impossível espirrar com os olhos abertos. (NÃO TENTEM ISTO EM CASA).
5. As pessoas inteligentes têm mais cobre e zinco no cabelo.
6. O músculo mais potente do corpo é a língua.
7. É impossível suicidar-se parando a respiração.
8. Os nossos olhos são sempre do mesmo tamanho, desde o nascimento, enquanto que as orelhas e o nariz nunca param de crescer.
9. É impossível lamber o cotovelo.
10. O suor não tem odor. São as bactérias da pele que criam o cheiro.
11. Apenas uma pessoa em cada 2 bilhões viverá mais de 116 anos.
12. Se gritares durante 8 anos, 7 meses e 6 dias, a energia libertada é igual à necessária para aquecer uma chávena de café.
13. O coração bombeia o sangue com uma pressão suficiente para esguichar o sangue a uma altura de 9 metros.
14. Os destros vivem em média 9 anos a mais do que os canhotos.
15. Uma pessoa pisca os olhos aproximadamente 25 mil vezes por dia.
16. Se as doenças do coração, o cancro e os diabetes fossem erradicados, a expectativa de vida do homem seria de 99,2 anos.
17. A cada ano, 98% dos átomos do nosso corpo são substituídos.
18. O crânio tem 29 ossos.
19. As unhas da mão crescem aproximadamente 4 vezes mais rápido que as do pé.
20. Os pés possuem um quarto dos nossos ossos.
21. 15 vezes ao dia é o número médio de vezes que um adulto normal dá risada. No entanto uma criança ri em média 400 vezes por dia.
22. 4 kg é o peso do cérebro humano. Este consome 25% do oxigênio que respiramos.
23. Uma pessoa normal tem á volta de 1460 sonhos por ano.
24. Todos temos 300 ossos quando nascemos, mas chegamos a adultos apenas com 206.
25. A força necessária para dar três espirros consecutivos, queima exatamente o mesmo numero de calorias que um orgasmo.
26. Cada soluço dura menos de 1 segundo e ocorrem com um frequência normal e regular de 5 a 25 vezes por minuto. O livro dos recordes menciona um soluço que durou 57 anos.
27. Por cada sílaba que o homem fala, 72 músculos entram em movimento. Para sorrir, são utilizados 14 músculos. Para beijar, 29.
28. O intestino delgado mede entre 6 a 9 metros. O intestino grosso tem 1,5 metros, mas é 3 vezes mais largo.
29. Um adulto elimina 3 litros de água por dia, por meio da urina, suor e da respiração.
30. O corpo humano é formado por 70% de água, que corresponde a metade do nosso peso. No organismo, a água transporta alimentos, resíduos e sair minerais; lubrifica tecidos e articulações; conduz glicose e oxigênio para o interior das células, e regula a temperatura.
31. Se não exercitarmos o que aprendemos, esquecemos 25% em seis horas, 33% em 24 horas e 90% em seis meses.
32. Com uma média de 70 batidas por minuto, o coração bate 37 milhões de vezes por ano.
33. Se dormirmos, em média, 8 horas por dia, aos 40 anos teremos dormido 13 anos.
34. O olho humano é capaz de distinguir 10.000.000 de diferentes tonalidades.
35. Você fala sem pensar? Os cientistas calcularam que a velocidade de um pensamento é de 240 km/h!
36. O esqueleto de um homem de 64 quilos pesa cerca de 11 quilos.
37. Em média, uma criança de 4 anos faz 437 perguntas por dia.
38. Numa vida, um ser humano passa, em média, 8 anos em filas de espera.
Fonte: Site http://bolgdoano.blogspot.com/

Lista de Concílios Ecuménicos cristãos


Um concílio ecuménico cristão (ou simplesmente concílio ecuménico) é uma reunião de todos os bispos cristãos convocada para discutir e resolver as questões doutrinais ou disciplinares da Igreja Cristã. A palavra ecuménico deriva do grego "οἰκουμένη", que significa literalmente "o mundo habitado". Inicialmente, ela foi usada para se referir ao Império Romano e, posteriormente, passou a ser aplicado para designar o mundo em geral. Devido aos cismas, a aceitação desses concílios varia muito entre as diferentes denominações do cristianismo.As Igrejas cristãs que se separaram com as demais por causa de divergências cristológicas aceitam somente os concílios ecuménicos que se realizaram antes da sua separação: assim, a Igreja Assíria do Oriente aceita os dois primeiros e as Igrejas não-calcedonianas os três primeiros. Até ao século IX, sete concílios ecuménicos reconhecidos tanto pela Igreja Católica como pela Igreja Ortodoxa foram realizadas, antes da sua separação (século XI). Desde então, a Igreja Ortodoxa não tem reconhecido como ecuménico mais nenhum concílio, ao passo que a Igreja Católica continuou a convocar e realizar concílios ecuménicos em comunhão plena com o Papa. Anglicanos, luteranos, calvinistas e algumas denominaçõesprotestantes reconhecem os quatro primeiros concílios ecuménicos e, em alguns casos, os primeiros sete.Índice [esconder]1 Concílios pré-Nicenos2 Cronologia dos concílios ecuménicos2.1 Da Igreja Católica2.2 Das denominações Protestantes2.3 Das Igrejas não-calcedonianas e da Igreja Assíria do Oriente2.4 Da Igreja Ortodoxa3 Ver também4 Referências5 Ligações externas[editar]Concílios pré-NicenosOs concílios ou sínodos pré-Nicenos foram, na sua maior parte, reuniões de natureza regional, nunca chegando a reunir todos os bispos da Igreja. Apesar disso, estes concílios eram muito importantes para clarificar vários aspectos doutrinais ou disciplinares nos primórdios do Cristianismo e as suas decisões, em geral, são seguidas por muitos cristãos e bispos que não participaram nestes encontros. O exemplo mais paradigmático destes concílios é o Concílio de Jerusalém (49 d.C.), que libertou a Igreja cristã nascente das regras antigas daSinagoga e, por isso, marcou definitivamente o desligamento do cristianismo do judaísmo e confirmou para sempre o ingresso dos gentios (não-judeus) na cristandade. O primeiro concílio com o objectivo de reunir todos os bispos da Igreja, e portanto ecuménico, realizou-se somente em 325 e chama-se Primeiro Concílio de Niceia.NºPapas Durante o ConcílioLocal e designaçãoDuração do
ConcílioTemas principaisSão PedroJerusalémOutono de51Os convertidos do paganismo (novos cristãos) isentos de algumas práticas da lei mosaica, como a circuncisão. VerControvérsia da circuncisãoSão Vítor IConcílio (Sínodo) de Roma197Examina a questão da data da Páscoa, celebrada diferentemente no Oriente e no Ocidente. Ver Controvérsia da Páscoa.Santo Estevão IConcílio (Sínodo) de Cartago256Cipriano, bispo de Cartago, reúne 87 bispos africanos. Discutem o Cisma novaciano.Concílio (Sínodo) de Elvira306Reúne 19 bispos e 24 presbíteros da península Ibérica. Decretam o celibato do clero.São Silvestre IConcílio (Sínodo) da Gália314Constantino convoca em Arles, 33 bispos africanos, na tentativa de evitar o Cisma donatista.[editar]Cronologia dos concílios ecuménicos[editar]Da Igreja CatólicaSegundo os cânones 337 e 341 do Código de Direito Canónico, um concílio ecuménico (ecuménico: universal, ou seja, toda a Igreja Católica) é uma reunião de todos os Bispos da Igreja para reflectir sobre pontos de doutrina e de disciplina que precisam de ser esclarecidos, promulgar dogmas, corrigir erros pastorais, condenar heresias e, em suma, dirimir sobre todas as questões de interesse para a Igreja universal. É convocado e presidido pelo Papa ou por algum Bispo, isso porque não é necessário o Papa estar presente para a realização de um concílio, mas para ele ser válido precisa de sua confirmação.São 21 os concílios ecuménicos, entendendo "ecuménico", aqui, com o sentido de "universal", com a participação de todos os bispos católicos do mundo.Segundo a doutrina da Igreja Católica, além do Papa (quando fala ex cathedra), o episcopado católico pleno é também infalível (em matérias de fé e moral) só quando está reunido numconcílio ecuménico e em comunhão (união) com o Papa, que é a cabeça do episcopado. Mas, fora da comunhão com o Papa e da sua autoridade suprema, o concílio tem apenas podersinodal.NºPapas Durante o ConcílioLocal e designaçãoDuração do
ConcílioTemas principais1ºSão Silvestre INiceia I20 de Maio a 25 de Julhode 325Primeiro a reunir a Cristandade. Condena o Arianismo como heresia e exila Ário. Proclama a igualdade de natureza entre o Pai e o Filho. Redacção do Símbolo ou Credo que se recita na missa.2ºSão Dâmaso IConstantinopla IMaio aJulho de381Afirma a natureza divina do Espírito Santo. Estabelece que o bispo de Constantinopla receberá as honras logo após o de Roma.3ºSão Celestino IÉfeso22 de Junho a17 de Julho de431Condena o Nestorianismo como heresia. Afirma a unidade pessoal de Cristo e de Maria.
A Igreja Assíria do Oriente não reconhece este concílio e nenhum dos posteriores.4ºSão Leão I, MagnoCalcedónia8 de Outubro a1 de Novembrode 451Condenação do monofisismo. Afirma a unidade das duas naturezas, completas e perfeitas em Jesus Cristo, humana e divina. É escrita a carta dogmática "Tomo a Flaviano" pelo Papa Leão I.
As Igrejas não calcedonianas não reconhecem este concílio e nenhum dos posteriores.5ºPapa VigílioConstantinopla II5 de Maioa 2 de Junho de553Condena os ensinamentos de Orígenes e outros. Condena os documentos nestorianos designados Os Três Capítulos.6ºSanto AgatãoConstantinopla III7 de Novembrode 680 a16 de Setembrode 681Dogmatiza as duas naturezas do Cristo. Condena o monotelismo.7ºPapa Adriano INiceia II24 de Setembroa 23 de Outubrode 787Regula a questão da veneração de imagens (ícones). Condena os iconoclastas.8ºPapa Adriano IIConstantinopla IV5 de Outubrode 869 a28 de Fevereirode 870Condenação e deposição de Fócio, patriarca de Constantinopla. Encerra temporariamente o primeiro Cisma Ocidental.9ºPapa Calisto IILatrão I18 de Março a 6 de Abrilde 1123Encerra a Questão das Investiduras. Independência da Igreja perante o poder temporal.10ºPapa Inocêncio IILatrão IIAbril de1139Torna obrigatório o celibato para o clero na Igreja Ocidental. Fim do cisma do Antipapa Anacleto II11ºPapa Alexandre IIILatrão IIIMarço de1179Normas para a eleição do Papa (maioria de 2/3) e da nomeação de bispos (idade mínima de 30 anos). Excomungam-se os barões que, na França, apoiavam os Cátaros.12ºPapa Inocêncio IIILatrão IV11 de Novembroa 30 de Novembrode 1215Determina que todo o cristão, chegado ao uso da razão, é obrigado a receber a Confissão e a Eucaristia na Páscoa. Condenação dos Albigenses, Maniqueístas e Valdenses. Definição de transubstanciação.13ºPapa Inocêncio IVLião I28 de Junho a17 de Julho de1245Deposição do Frederico II.14ºBeato Gregório XLião II7 de Maioa 17 de Julho de1274Tentativa de reconciliação com a Igreja Ortodoxa. Regulamentação do conclave para a eleição papal. Cruzada para libertar Jerusalém. Institui o conceito de Purgatório.15ºPapa Clemente VVienne16 de Outubrode 1311 a6 de Maiode 1312Supressão dos Templários. Discute-se a questão dos bordéis de Roma e a nomeação de um arcebispo em Pequim, na China.16ºPapa Gregório XII e Papa Martinho VConstança5 de Outubrode 1414 a22 de Abril de1418Extingue o Grande Cisma do Ocidente. Condenação de John Wycliffe e de Jan Hus. Decreta a supremacia do concílio sobre o Papa(posteriormente ab-rogado). Eleição do Papa Martinho V17ºPapa Eugênio IVBasileia-Ferrara-Florença1431-1432Sanciona o cânon católico (relação oficial dos livros da Bíblia), tenta nova união com as Igrejas orientais ortodoxas. Reconhecimento no romano pontífice de poderes sobre a Igreja Universal. Ratifica a figura do Purgatório.18ºPapa Júlio II ePapa Leão XLatrão V10 de Maio de1512 a 16 de Marçode 1517Condenação do concílio cismático de Pisa (1409-1411) e do conciliarismo. Reforma da Igreja.19ºPapa Paulo III,Papa Júlio III,Papa Marcelo II,Papa Paulo IV ePapa Pio IVTrento13 de Dezembrode 1545 a4 de Dezembrode 1563Reforma geral da Igreja, sobretudo por causa do protestantismo. Confirmação da doutrina acerca dos sete sacramentos e dos dogmas eucarísticos. Decreta a versão da Vulgata como autêntica.20ºBeato Pio IXVaticano I8 de Dezembrode 1869 a18 de Julho de1870Reforça a ortodoxia estabelecida no Concílio de Trento. Condena o Racionalismo, o Naturalismo e o Modernismo. Dogmas sobre oPrimado do Papa e da infalibilidade papal na definição expressa de doutrinas de fé e de costumes.21ºBeato João XXIIIe Papa Paulo VIVaticano II11 de Outubrode 1962 a8 de Dezembrode 1965Abertura ao mundo moderno. Reforma da Liturgia. Constituição e pastoral da Igreja, Revelação divina, liberdade religiosa, novo ecumenismo (visto que o modo tradicional de ecumenismo é bem diferente, como mostra a Encíclica Mortalium Animos, de Pio XI), apostolado dos leigos. Este Concílio gera muitas polêmicas, inclusive por não ser um Concílio dogmático. Os ditos tradicionalistasdizem que o Concílio Vaticano II rompe de modo herético com a tradição bimilenar da Igreja: a Missa Tridentina e o Canto Gregorianoperdem importância; o modo como todos os sete sacramentos são celebrados sofreu também mudanças.[editar]Das denominações ProtestantesAnglicanos, luteranos, calvinistas e algumas denominações protestantes reconhecem os quatro primeiros concílios ecuménicos católicos e, em alguns casos, os primeiros sete. As demais têm visões variadas conforme a sua doutrina.[editar]Das Igrejas não-calcedonianas e da Igreja Assíria do OrienteAs Igrejas não-calcedonianas só aceitam os três primeiros concílios ecuménicos católicos e rejeitam as decisões do Concílio de Calcedónia (8 de Outubro a 1 de Novembro de 451) e dos outros concílios posteriores.A Igreja Assíria do Oriente só reconhece os primeiros dois concílios ecuménicos católicos, acabando por rejeitar o [[Concílio de Éfeso.[editar]Da Igreja OrtodoxaA Igreja Ortodoxa aceita oficialmente os sete primeiros concílios ecuménicos católicos. Existem muitos ortodoxos que reconhecem também o Concílio Quinissexto (692), o Quarto Concílio de Constantinopla (879-880), o Quinto Concílio de Constantinopla (1341-1351) e o Sínodo de Jerusalém (1672) como ecuménicos. Mas, é improvável que estes quatro concílios, apesar da importância e ortodoxia das suas decisões, venham a ser declarados oficialmente ecuménicos.[1]NºConvocado porLocal e designaçãoDuração do
ConcílioTemas principaisImperador Justiniano IIConcílio Quinissextoou Concílio In Trullo692Tanto o Segundo Concílio de Constantinopla (o quinto ecumênico) quanto Terceiro não emitiram nenhum cânone sobre adisciplina e este concílio teve como objetivo resolver esta questão, "completando" assim o trabalho de ambos. Por isso o nome "Quinissexto" (em latim: Concilium Quinisextum; Penthekte Synodos em grego koiné), ou seja, o "Concílio Quinto-Sexto".Imperador Basílio I, o MacedônioConstantinopla IV879-880Convocado pelo imperador como resposta ao Concílio de Constantinopla IV realizado dez anos antes e apoiado pelo Papa Adriano II. Anulou as decisões do Concílio anterior e reabilitou Fócio.Imperadores Andrônico III Paleólogo, João VI Cantacuzeno, João XIV eIsidoro IConstantinopla V1341 -1351Uma série de concílios patriarcais realizados em Constantinopla entre 1341 e 1351 para lidar com uma disputa sobre ohesicasma. Por isto, este concílio também é conhecido como o Concílios Hesicastas ou Concílios Palamitas, uma vez que eles discutiram a teologia de Gregório Palamás (Palamismo), disputada por Barlaão de Seminara no primeiro e por outros nos demais cinco.Patriarca Grego-Ortodoxo de Jerusalém Dositeu NotarasSínodo de Jerusalém1672Como na ocasião também foi consagrada a Igreja da Natividade em Belém, ele também é chamado de Sínodo de Belém. Este sínodo afirmou o cânon bíblico a ser utilizado pela Igreja Ortodoxa.
wikipedia.org

O PRIMEIRO CONCÍLIO DA IGREJA DE CRISTO.


O QUE É UM CONCÍLIO?

Como bem definiu o pastor Claudionor de Andrade em seu Dicionário Teológico (CPAD, 1998, p. 88), um concílio é uma:

[...] reunião convocada pelos representantes de uma igreja para deliberar acerca de uma linha de ação comum e pugnar pela ortodoxia doutrinária. Em qualquer concílio eclesiástico, a Palavra de Deus deve ter em tudo a primazia. Caso contrário: o primado humano sufocará e acabará por extinguir a influência do Espírito Santo.

Na lição Bíblica 11 da CPAD, p. 79, a definição dada pelo mesmo autor ficou assim: "O concílio, por conseguinte, é uma reunião de representantes da Igreja, cujo objetivo é deliberar acerca da fé, doutrina, costumes e disciplina eclesiática".

Nestas duas definições, me chama a atenção um pequeno detalhe. Na primeira, concílio é uma reunião "convocada pelos representantes de uma igreja", enquanto na segunda, é uma reunião "de representantes". As duas definições se complementam.

No meio assembleiano o termo "concílio" não é utilizado. Geralmente se usa "assembleia ordinária" ou "assembleia extraordinária", e geralmente contempla apenas uma parte da liderança da igreja.

O CONCÍLIO NA PERSPECTIVA NEOTESTAMENTÁRIA

Na perspectiva do Novo Testamento, a questão que gostaria de levantar é: Quem são estes representantes? Na página 80 da Lição Bíblica, o pastor Claudionor de Andrade faz menção de três ocasiões onde os apóstolos se reuniram para decidir sobre algumas pendências na comunidade cristã. São elas, a eleição de Matias (At 1:12-26), a instituição do diaconato (At 6:1-15; e a decisão acerca das imposições dos judaizantes sobre os crentes gentios (At 15:6-30). Observemos algumas passagens dentro daquilo que quero inicialmente levantar:

Naqueles dias, levantou-se Pedro no meio dos irmãos (ora, compunha-se a assembléia de umas cento e vinte pessoas) e disse:[...]. (At 1.15)

Quem foram os participantes desta assembleia? Os apóstolos e os "irmãos".

Observemos a segunda passagem citada:

Então, os doze convocaram a comunidade dos discípulos e disseram: Não é razoável que nós abandonemos a palavra de Deus para servir às mesas. Mas, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, aos quais encarregaremos deste serviço; e, quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra. O parecer agradou a toda a comunidade; e elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas e Nicolau, prosélito de Antioquia. Apresentaram-nos perante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos. (At 6:2-6)

Quem convocou a comunidade dos discípulos? Os doze. Quem elegeu os diáconos? Toda a comunidade, sob a bênção e aprovação dos apóstolos (liderança da igreja).

Por quais razões, no meio assembleiano brasileiro, a "comunidade" não participa da escolha dos diáconos? Seria em razão do modelo de governo eclesiástico episcopal? De resíduos do clericalismo medieval? Da herança do coronelismo histórico brasileiro? Da influência do período da ditadura militar? Do modelo organizacional administrativo e piramidal? De uma interpretação bíblica equivocada? Penso que de tudo isso há um pouco.

Sinceramente? Há milhares de diáconos que nunca alcançariam tal posição, se dependesse da escolha da igreja. A razão? Homens que não preenchem os requisitos de Atos 6.3:

Mas, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, aos quais encarregaremos deste serviço;

Graças a Deus pelos diáconos que se enquadram no perfil bíblico, que não são apresentados por caprichos ou pelos interesses inescrupulosos de algumas lideranças.

Na terceira passagem citada, Atos 15.6-30, chamo a atenção para os versículos abaixo:

Então, se reuniram os apóstolos e os presbíteros para examinar a questão. [...]Então, pareceu bem aos apóstolos e aos presbíteros, com toda a igreja, tendo elegido homens dentre eles, enviá-los, juntamente com Paulo e Barnabé, a Antioquia: foram Judas, chamado Barsabás, e Silas, homens notáveis entre os irmãos, [...]. Pois pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor maior encargo além destas coisas essenciais: [...]. (Atos 15: 6,22 e 28)

No Concílio de Jerusalém, quem participou da assembleia e das decisões? Os apóstolos e os presbíteros, com toda igreja. Havia também a presença de uma pessoa, que já não é convidada para algumas assembleias e reuniões na atualidade: O Espírito Santo.

Sem mais delongas, a comunidade e o Espírito Santo já não participam de grande parte das nossas assembleias, reuniões e convenções. Quando participam, ficam sem vez e voz. As suas opiniões não são mais relevantes àqueles cujos interesses não estão no Reino de Deus, mas em seus próprios "reinos" e "impérios".

OS CONCÍLIOS AO LONGO DA HISTÓRIA DA IGREJA

Para uma visão geral dos concílios, acesse o seguinte link:Wikipédia-Concílios

QUESTÕES ATUAIS

De 12 a 14 de Abril, será realizada na cidade de Cuiabá-MT, a 40ª Assembleia Geral Ordinária da CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil). Na ocasião serão tratadas algumas questões, dentre as quais:

1) Posicionamento da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) quanto à nulidade ou anulabilidade do casamento, união estável e concubinato, e a revisão do posicionamento acerca do divórcio, com leitura de parecer elaborado pela Comissão Especial designada na última Assembléia Geral Ordinária; 2) Ênfase aos princípios pentecostais, face à celebração do Centenário das Assembléias de Deus; 3) Perigos que ameaçam as Assembléias de Deus no Brasil: a) Mornidão; b) Modismos neopentecostais; c) Remoção dos marcos antigos; d) Omissão dos valores eclesiásticos.

Quem são os culpados pela mornidão na igreja? Já se ouviu a opinião da comunidade sobre isso? Já foi ouvida a voz do Espírito?

Modismos neopentecostais? Vamos tirar as fogueiras santas das Assembleias de Deus? As voltas em Jericó? A travessia do Mar Vermelho? Os mergulhos no Rio Jordão? Os cultos da vitória? Os cultos dos milagres? Os cultos da restituição? As determinações e decretos nas orações? O "eu profetizo" das pregações? A barganha dos dízimos e ofertas? A teologia da prosperidade? A teologia da conquista? Vamos resolver, ou simplesmente recomendar?

Remoção de "marcos antigos"? De quais "marcos antigos" vamos tratar? Dos usos e costumes? Da doutrina? Da liturgia? Da identidade? Que identidade? Ainda temos uma? Qual? Teremos mais recomendações, sem advertências e disciplinas?

Como tratar com um líder ou convenção assembleiana local, regional e estadual que não acredita na existência do inferno? Que entende que o falar em línguas não é a única evidência do batismo com o Espírito Santo? Que não acredita na trindade? Que banalizou o divórcio, e que possui um número considerável de obreiros divorciados pelos mais banais motivos? Como normatizar usos e costumes num país multicultural como o nosso? Vamos impor novas ou velhas regras?

Por quais valores eclesiásticos vamos lutar? Pela integridade? Pela justiça? Pela verdade? Pelo respeito ministerial? Pela honestidade? pela verdadeira união e comunhão? Vamos reunir as lideranças em litígio, ou vamos procrastinar soluções e fazer de contas que está tudo bem?

Na conclusão da Lição Bíblica está escrito: "Que o exemplo dos santos apóstolos mova a igreja de Cristo a livrar-se de toda briga local [...]". Que esse exemplo nos livre também das "brigas nacionais", abertas e escandalosas.

Na condição de denominação, onde e como estaremos nós no próximo Centenário (se Jesus não voltar antes)? Em parte, vai depender das respostas que daremos às questões acima levantadas.

Será que teremos nesta 40ª AGO, assim como acontece nos anos de eleições, a participação de mais de 10.000 inscritos para tratar e decidir sobre questões tão relevantes? Gostaria de estar errado, mas penso que não chegaremos nem perto deste número.

Oremos por concílios, reuniões ou assembleias proveitosas, que de fato resolvam, estando também abertas para ouvir toda a comunidade e a voz do Espírito
.

Para Todas nós MULHERES!!!!!


Quando Deus fez a mulher já estava em seu sexto dia de trabalho fazendo horas extras.






Um anjo apareceu e Lhe disse: "Por quê leva tanto tempo nisto?"





E o Senhor respondeu: "Já viu a minha ficha de especificações para ela?"


"Deve ser completamente lavável, mas sem ser de plástico, ter mais de 200 peças móveis e ser capaz de funcionar com uma dieta de qualquer coisa, até sobras, ter um colo que possa acomodar quatro crianças ao mesmo tempo, ter um beijo que possa curar desde um joelho arranhado até um coração partido e fará tudo isto somente com duas mãos."


O anjo se maravilhou com as especificações. "somente duas mãos....Impossível!" e este é somente o modelo básico? "É muito trabalho para um dia...Espere até amanhã para terminá-la." "Isso não, protestou o Senhor. Estou tão perto de terminar esta criação que é favorita de Meu próprio coração"."Ela se cura sozinha quando está doente epode trabalhar jornadas de 18 horas." O anjo se aproximou mais e tocou a mulher. "mas o Senhor a fez tão suave..." "É suave", disse Deus, mas a fiz também forte. Você não tem idéia do que pode agüentar ou conseguir."Será capaz de pensar?" perguntou o anjo. Deus respondeu:"Não somente será capaz de pensar mas também que raciocinar e de negociar" O anjo então notou algo e estendendo a mão tocou a bochecha da mulher...."Senhor, parece que este modelo tem um vazamento..."Eu Lhe disse que estava colocando muita coisa nela... "Isso não é nenhum vazamento... é uma lágrima" corrigindo-o o Senhor..."Para que serve a lágrima," perguntou o anjo. e Deus disse:"As lágrimas são sua maneira deexpressar seu destino, sua pena, seu desengano, seuamor, sua solidão, seu sofrimento, e seu orgulho." Isto impressionou muito ao anjo "O Senhor é um gênio, pensou em tudo. A mulher é verdadeiramente maravilhosa" Sim é!A mulher tem forças que maravilham aos homens.Agüentam dificuldades, levam grandes cargas,mas têm felicidade, amor e alegria.Sorriem quando querem gritar.Cantam quando querem chorar. choram quandoestão felizes e riem quando estão nervosas. Lutam pelo que crêem.Enfrentam à injustiça.Não aceitam "não" como resposta quandoelas crêem que há uma solução melhor.Privam-se para que a sua família possa ter.Vão ao médico com uma amiga que tem medo de ir.Amam incondicionalmente. Choram quando seus filhos triunfam e se alegramquando seus amigos ganham prêmios.Ficam felizes quando ouvem sobre umnascimento ou um casamento. Seu coração se parte quando morre uma amiga.Sofrem com a perda de um ente querido, entretanto são fortes quando pensam que já nãohá mais forças.Sabem que um beijo e um abraçopodem ajudar a curar um coração partido. Entretanto, há um defeito na mulher: É que ela se esquece o quanto vale.

POR EMAIL ;SONIA LUZ

Sabedoria de Avó...


Sabedoria de Avó...

Quando eu for bem velhinha, espero receber a graça de, num dia de domingo, me sentar na poltrona da biblioteca e, bebendo um cálice de Porto, dizer a minha neta: - Querida, venha cá.

Feche a porta com cuidado e sente-se aqui ao meu lado.

Tenho umas coisas pra te contar. E assim, dizer apontando o indicador para o alto: - O nome disso não é conselho, isso se chama colaboração! Eu vivi, ensinei, aprendi, caí, levantei e cheguei a algumas conclusões.

E agora, do alto dos meus 82 anos, com os ossos frágeis a pele mole e os cabelos brancos, minha alma é o que me resta saudável e forte.

Por isso, vou colocar mais ou menos assim: É preciso coragem para ser feliz. Seja valente. Siga sempre seu coração.

Para onde ele for, seu sangue, suas veias e seus olhos também irão. Satisfaça seus desejos.

Esse é seu direito e obrigação. Entenda que o tempo é um paciente professor que irá te fazer crescer, mas escolha entre ser uma grande menina ou uma menina grande, vai depender só de você. Tenha poucos e bons amigos. Tenha filhos. Tenha um jardim. Aproveite sua casa, mas vá aFernando de Noronha, a Barcelona e a Austrália. Cuide bem dos seus dentes. Experimente, mude, corte os cabelos. Ame. Ame pra valer, mesmo que ele seja o carteiro.

Não corra o risco de envelhecer dizendo "ah, se eu tivesse feito...

" Vai que o carteiro ganha na loteria - tudo é possível, e o futuro é imprevisível. Tenha uma vida rica de vida! Viva romances de cinema, contos de fada e casos de novela. Faça sexo, mas não sinta vergonha de preferir fazer amor. E tome conta sempre da sua reputação, ela é um bem inestimável.

Porque sim, as pessoas comentam, reparam, e se você der chance elas inventam também detalhes desnecessários. Se for se casar, faça por amor.

Não faça por segurança, carinho ou status. A sabedoria convencional recomenda que você se case com alguém parecido com você, mas isso pode

ser um saco! Prefira a recomendação da natureza, que com a justificativa de aperfeiçoar os genes na reprodução, sugere que você procure alguém diferente de você.

Mas para ter sucesso nessa questão, acredite no olfato e desconfie da visão.

É o seu nariz quem diz a verdade quando o assunto é paixão. Faça do fogão, do pente, da caneta, do papel e do armário, seus instrumentos de criação. Leia. Pinte, desenhe, escreva. E por favor, dance, dance, dance até o fim, se não por você, o faça por mim. Compreenda seus pais.

Eles te amam para além da sua imaginação, sempre fizeram o melhor que puderam, e sempre farão. Não cultive as mágoas - porque se tem uma coisa que eu aprendi nessa vida é que um único pontinho preto num oceano branco deixa tudo cinza. Era só isso minha querida.

Agora é a sua vez.

Por favor, encha mais uma vez minha taça e me conte: como vai você?

Isso vale para todos nós, pais, filhos, netos e amigas...

O SEGREDO DA MAÇONARIA


Eu faço pesquisas detalhadas sobre sociedades secretas há muito tempo, de maneira coerente e coesa, uma delas é a Maçonaria. O que eu pude constatar, é que há uma campanha de desinformação à respeito da mesma, nada das informações publicadas em livros , sites, blogs, vídeos são coerentes e uniformes, ou seja, há vários “fatos” sobre essa fraternidade que não batem. Por exemplo ; tem referencias específicas sobre rituais praticados em todos os veículos de mídia acima citados, em um livro diz-se uma coisa, em outro livro sobre o mesmo assunto(ritual) diz outra completamente diferente…e assim vai em sites, blogs, vídeos. Eu acho o seguinte… esses caras estão aí nos bastidores da história há séculos, são um grupo muito bem fundamentado e doutrinado, vocês acham que assim…do nada… os seus maiores segredos vão sendo revelados fácil…tolo de quem acredita. Acho, e constatei , que Eles estão em uma franca campanha de desinformação, se você pensar bem…é muito esperta essa estratégia, devido ao grande interesse das pessoas à respeito…nada mais eficaz do que uma enxurrada de informações falsas, e pode ter certeza que são, para saciar a curiosidade alheia. Houve uma interceptação(gravação) de uma longa e reveladora conversa entre dois maçons eminentes Graus 33, se é que realmente esta graduação exista ou seja verdadeira,eles dizem nesse diálogo , que todos os maçons quando vêem ; os livros , vídeos, blogs e sites colocando imagens daquelas posições, símbolos e sinais "bizarros", termo utilizado por um deles com veemência, dão risadas, pois tudo é tão ridículo e fantasioso, que é difícil acreditar que as pessoas aceitem tudo como verdade...mas ao mesmo tempo é ótimo para a fraternidade, por isso não se vê nenhum maçom, do mais baixo ao alto grau, se pronunciar à respeito dessa tolices, palavras dele. Todas as editoras, emissoras de rádio e televisão, que publicam livros, revistas e matérias de jornal e televisão à respeito da Maçonaria , revelando seus supostos rituais e segredos...são todos , sem exceção, de propriedade de maçons. Estes executam a campanha de desinformação , como foi concebida por Albert Pike no século XIX. Por isso , não acreditem em nada, desconfiem de tudo ! Todo esse material que circula pela internet é falso, tudo arquitetado para enganar e desviar a atenção do verdadeiro foco ! Não se deixem lograr ... pois é isso que eles querem…e conseguiram. Caros, nenhum maçom...deixa de ser maçom, e por exemplo viram evangélicos ou perfilam-se na anti-maçonaria...esses que o dizem... são agentes infiltrados justamente para difundir a desinformação...por isso cuidado com esses “Ex-maçons”, pois são arautos da desinformação !...após sair de um culto Evangélico...vão direto para um templo maçônico prestar contas.
http://osegredodamaconaria.blogspot.com

LIÇÕES BÍBLICAS CPAD - 2° TRIMESTRE/2011


A Lição Bíblica da CPAD - 2º Trimestre/2011 terá como tema geral "Movimento Pentecostal: As doutrinas da nossa fé". O comentarista será o pastor Elienai Cabral.

Segue abaixo os temas semanais:

1. Quem é o Espírito Santo?
2. Nomes e símbolos do Espírito Santo
3. O que é o Batismo com o Espírito Santo?
4. Espírito Santo agente capacitador da obra de Deus
5. A importância dos dons espirituais
6. Dons espirituais que manifetam a sabedoria de Deus
7. Os dons de poder
8. O genuíno culto pentecostal
9. A pureza do movimento pentecostal
10. Assembleia de Deus, cem anos de Pentecoste
11. Uma igreja autenticamente Pentecostal
12. Conservando a pureza da Doutrina Pentecostal
13. Aviva ó Senhor a tua obra

O EVANGELHO PROPAGA-SE ENTRE OS GENTIOS


No Antigo Testamento o termo "gentio" origina-se do hebraicogoyim, que significa "nações" ou "estrangeiros". Encontramos esse termo em passagens como: Gn 10:5; Jz 4:3; Is 11:10; Jr 4:7; Lm 2:9; Ez 4:13; Os 8:8, etc.

No Novo Testamento, os substantivos gregos ethnos e hellensão traduzidos por "gentios":

- ethnos: esse termo transmite a ideia de "multidão de pessoas da mesma natureza ou gênero; nação, povo". Conforme Vine (2003, p. 673), é utilizado no singular, acerca dos judeus, quando então é traduzido por "nação" (Lc 7:5; 23:2; Jo 11:48, 50-52); no plural, acerca de nações não judaicas (Mt 4:15; Rm 3:29; 11:11; 15:10; Gl 2:8); circunstanciamente, é empregado também para ser referir aos convertidos gentios em distinção dos judeus (Rm 11:13; 16:4; Gl 2:12, 14; Ef 3:1);

- hellen: originalmente foi utilizado acerca dos primeiros descendentes da Heliéia Tessália; mais tarde passou a indicar os gregos em oposição aos bárbaros (Rm 1:14). É usado também em relação aos gentios que falavam o idioma grego (Gl 2:3; 3:28).

ASPECTOS DO PLANO DE DEUS PARA OS GENTIOS REVELADO NO ANTIGO TESTAMENTO

A palavra "gentios" ou "nações", foi primeiramente aplicada sem distinção para as divisões entre os descendentes de Sem, Cam e Jafé (Gn 10:5, 20, 31).

Com a contínua corrupção e arrogância das nações (Gn 11:1-9), mesmo após a disciplina através do dilúvio, fez com que o Senhor escolhesse Abraão, para através de um grandioso e maravilhoso plano dar às nações uma nova oportunidade de serem alcançadas com o seu amor, sua graça e perdão:

Ora, disse o SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.(Gn 12.1-3)

Como bem escreveu Pate (1987, p. 8), a promessa de Deus a Abraão deu início a um novo capítulo na história da humanidade. Deus manteve o seu plano para a redenção dos indivíduos e das nações, apenas mudando de método. Ele se identificaria de maneira especial com o povo de uma nação específica (Israel), promovendo o crescimento desse povo e nação, determinando o seus sistema social e político, fazendo-os prosperar e livrando-os dos seus inimigos:

A promessa feita a Abraão: "Em ti serão benditas todas as famílias da terra", é uma referência direta à vinda de Cristo, o Messias. Jesus Cristo, Filho de Davi, filho de Abraão, é o único por meio de quem todas as nações da terra podem ser abençoadas. De modo que, mesmo ao escolher a nação de Israel, Deus estava decidido a alcançar, levantar, elevar e redimir todos os povos da terra. (ibidem)

Bosch (2002, p. 37), interpreta os fatos acima citados, afirmando que:

[...] à medida que a compaixão de Javé se estende a Israel e além dele, torna-se gradativamente claro que, em última análise, Deus está tão preocupado com as nações quanto Israel. Com base em sua fé, Israel pode tirar duas conclusões fundamentais: visto que o Deus verdadeiro se deu a conhecer a Israel, ele só pode ser encontrado em Israel; e visto que o Deus de Israel é o único Deus verdadeiro, ele é também o Deus do mundo inteiro. A primeira conclusão enfatiza o isolamento e a exclusão do resto da humanidade; a segunda sugere uma abertura básica e a possibilidade de dirigir-se às nações (cf. Labuschagne, 1975, p. 9).

Ainda segundo Bosch (ibidem), no Antigo Testamento alguns aspectos positivos e escatológicos do plano de Deus para as nações podem ser vislumbrados. São eles:

- A espera e confiança das nações no Senhor (Is 51:5);
- A glória do Senhor será revelada a todas as nações (Is 40:5);
- Todas as extremidades da terra são conclamadas a olha para o Senhor e ser salvas (Is 45:22);
- Seu Servo será luz para os gentios (Is 42:6; 49:6);
- Uma estrada é construída do Egito e da Assíria até Jerusalém (Is 19:23);
- As nações encorajam umas e outras a subir a montanha do Senhor (Is 2:5) e levam presentes valiosos consigo (Is 8:7);
- O Egito será abençoado como povo de Deus, a Assíria como obra de suas mãos e Israel como a sua herança (Is 19:25);
- A expressão visível dessa reconciliação global será a celebração do banquete messiânico no monte de Deus, onde as nações contemplarão Deus com a face descoberta e a morte será tragada para sempre (Is 25:6-8).

Na medida que passamos do Antigo para o Novo Testamento, o plano de Deus para a salvação dos gentios fica mais claro e evidente.

ASPECTOS DO PLANO DE DEUS PARA OS GENTIOS REVELADO NO NOVO TESTAMENTO

No Evangelho de Mateus, mas do que em qualquer outro, as atividades de Jesus entre os gentios é enfatizada (HAHN, 1965, p. 103-11 apud BOSCH, 2002, p. 85). Num primeiro momento, os relatos parecem enfatizar o ministério de Jesus para com "as ovelhas perdidas da casa de Israel":

A estes doze enviou Jesus, dando-lhes as seguintes instruções: Não tomeis rumo aos gentios, nem entreis em cidade de samaritanos; mas, de preferência, procurai as ovelhas perdidas da casa de Israel; (Mt 10:5-6)

Partindo Jesus dali, retirou-se para os lados de Tiro e Sidom. E eis que uma mulher cananéia, que viera daquelas regiões, clamava: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de mim! Minha filha está horrivelmente endemoninhada. Ele, porém, não lhe respondeu palavra. E os seus discípulos, aproximando-se, rogaram-lhe: Despede-a, pois vem clamando atrás de nós. Mas Jesus respondeu: Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel. Ela, porém, veio e o adorou, dizendo: Senhor, socorre-me! Então, ele, respondendo, disse: Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. (Mt 15.21-26)

Nesse contexto, não há indícios de uma iniciativa missionária intencional de Jesus em relação aos gentios (BOSCH, ibdem, p. 87).

Acontece, que à medida que Mateus avança em sua narrativa, passa a relatar a participação dos gentios na vida e ministério de Jesus, e isso de forma significativa, ao citar as quatro mulheres não-israelitas em sua genealogia (cap. 1); a visita dos magos (2:1-12); no episódio que envolve o centurião de Cafarnaum declara a participação dos gentios à mesa no reino (8:5-13); no caso da mulher cananéia não omite o elogio que o Senhor lhe faz e a resposta ao seu pedido (15: 21-28) e a reação do centurião romano diante da crucificação (M7 27.54).

Mateus também trata de forma aberta sobre a pregação do Evangelho a todas as nações e povos (gr. panta ta ethne):

E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim. (Mt 24:14)

Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; (Mt 28:19)

É após a sua morte e ressurreição, que a comissão de pregar Evangelho com ousadia e sem reservas é dada claramente. No Evangelho de Marcos isso também é factual:

E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. (Mc 16:15)

Marcos também destaca a sua visita à província dos gadarenos, e a maneira como libertou um homem possuído por espírito imundo, que se tornou uma testemunha do seu poder em Decápolis (Mc 5:1-20).

No Evangelho de Lucas a missão ao gentios está implícita no episódio de Nazaré (ibdem, p. 118):

E prosseguiu: De fato, vos afirmo que nenhum profeta é bem recebido na sua própria terra. Na verdade vos digo que muitas viúvas havia em Israel no tempo de Elias, quando o céu se fechou por três anos e seis meses, reinando grande fome em toda a terra; e a nenhuma delas foi Elias enviado, senão a uma viúva de Sarepta de Sidom. Havia também muitos leprosos em Israel nos dias do profeta Eliseu, e nenhum deles foi purificado, senão Naamã, o siro. Todos na sinagoga, ouvindo estas coisas, se encheram de ira. E, levantando-se, expulsaram-no da cidade e o levaram até ao cimo do monte sobre o qual estava edificada, para, de lá, o precipitarem abaixo. Jesus, porém, passando por entre eles, retirou-se. (Lc 4.24-30)

Jesus, comunicou entre outras coisas, que Deus não era apenas o Deus de Israel, mas também, e de igual modo, o Deus dos gentios (ibdem). Na "Grande Comissão" de Lucas, que na realidade é apresentada em forma de um fato e promessa, e não de mandamento, a pregação a todas as nações é também citada:

[...] e lhes disse: Assim está escrito que o Cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando de Jerusalém. (Lc 24:46-47)

Em Atos dos Apóstolos a missão aos gentios é novamente citada por Lucas, seguida dos episódios que desencadeiam de uma vez por todas a inclusão da mesma na "agenda" missionária:

[...] mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra. (At 1:8)

Ainda Pedro falava estas coisas quando caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, que vieram com Pedro, admiraram-se, porque também sobre os gentios foi derramado o dom do Espírito Santo; pois os ouviam falando em línguas e engrandecendo a Deus. Então, perguntou Pedro: Porventura, pode alguém recusar a água, para que não sejam batizados estes que, assim como nós, receberam o Espírito Santo? (At 10:44-47)

Alguns deles, porém, que eram de Chipre e de Cirene e que foram até Antioquia, falavam também aos gregos, anunciando-lhes o evangelho do Senhor Jesus. A mão do Senhor estava com eles, e muitos, crendo, se converteram ao Senhor. (Atos 11:20-21)

Mas os judeus, vendo as multidões, tomaram-se de inveja e, blasfemando, contradiziam o que Paulo falava. Então, Paulo e Barnabé, falando ousadamente, disseram: Cumpria que a vós outros, em primeiro lugar, fosse pregada a palavra de Deus; mas, posto que a rejeitais e a vós mesmos vos julgais indignos da vida eterna, eis aí que nos volvemos para os gentios. (At 13:45-46)

À noite, sobreveio a Paulo uma visão na qual um varão macedônio estava em pé e lhe rogava, dizendo: Passa à Macedônia e ajuda-nos. Assim que teve a visão, imediatamente, procuramos partir para aquele destino, concluindo que Deus nos havia chamado para lhes anunciar o evangelho. (At 16:9-10)

Durou isto por espaço de dois anos, dando ensejo a que ouvissem a palavra do Senhor,todos os habitantes da Ásia tanto judeus como gregos. (At 19:10)

[...] jamais deixando de vos anunciar coisa alguma proveitosa e de vo-la ensinar publicamente e também de casa em casa, testificando tanto a judeus como a gregoso arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus [Cristo]. (At 20:20-21)

Nas epístolas, a mesma ênfase é dada, como por exemplo nos textos abaixo:

Porque não quero, irmãos, que ignoreis que, muitas vezes, me propus ir ter convosco (no que tenho sido, até agora, impedido), para conseguir igualmente entre vós algum fruto, como também entre os outros gentios. (Rm 1:13)

Ora, tendo a Escritura previsto que Deus justificaria pela fé os gentios, preanunciou o evangelho a Abraão: Em ti, serão abençoados todos os povos. [...] Dessarte, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. (Gl 3:8, 28)

No livro de Apocalipse (5:8-10), os gentios são contemplados no cântico dos quatro seres viventes e dos vinte e quatro anciãos:

e, quando tomou o livro, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um deles uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos, e entoavam novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e naçãoe para o nosso Deus os constituíste reino e sacerdotes; e reinarão sobre a terra.

Estão presentes entre aqueles que vieram da grande tribulação, e lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do cordeiro:

Depois destas coisas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mãos; [...] Respondi-lhe: meu Senhor, tu o sabes. Ele, então, me disse: São estes os que vêm da grande tribulação, lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro, razão por que se acham diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que se assenta no trono estenderá sobre eles o seu tabernáculo. Jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o sol, nem ardor algum, pois o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima. (Ap 7:9, 14-17)

Diante de tudo isso, como bem escreveu Pate (ibdem, p. 7), o amor de Deus não se limita a uma raça, nação ou grupo cultural. Ele ama todos os povos. O amor de Deus ultrapassa todas as fronteiras, quer sejam geopolíticas, culturais, raciais ou linguísticas.

É fundamentada neste amor de Deus, manifesto a todos os povos, que a igreja inteira deve levar o evangelho inteiro para o mundo inteiro (BOSCH, ibdem, p. 28).