Páginas

"Durma com ideias, acorde com atitude!"

Trazendo a Arca e Toque no Altar


De acordo com uma fonte do site Creio, foi realizada na terça-feira, dia 29 de dezembro, uma reunião que pôs fim a batalha judicial entre o Ministério Trazendo a Arca e Toque no Altar, do Ministério Apascentar de Nova Iguaçu (RJ). A notícia foi divulgada pelo líder do Ministério Apascentar Marcos Gregório à igreja fluminense e confirmada pelo um dos líderes do Trazendo a Arca, Davi Sacer.

De acordo com a fonte foi um grande momento de perdão entre os componentes da igreja e do Ministério. Os 22 processos que separavam os ministérios, segundo ela, foram retirados. Davi Saccer confirmou o encontro e o momento de perdão. Participaram os pastores Silas Malafaia, Jabes de Alencar,Marcos Gregório, além de os integrantes do Trazendo a Arca. “Deus moveu o coração, faltava uma boa conversa com os intermediadores certos. Foi tempo de Deus trabalhar. Ambas as partes, que tem ministérios abençoados, entenderam que era importante deixar para trás e continuar seu ministério servindo a Deus”, frisa o músico que é membro da Igreja Batista Betânia em Sulacap (RJ). Os grupos musicais continuarão tocando separado, confirmou Saccer que com o ministério Trazendo a Arca lançou em dezembro o CD temático Salmos e Cânticos Espirituais.

No final de 2006, Davi Sacer,Verônica Sacer; Luiz Arcanjo; André Rodrigues; André Mattos, Isaac Ramos e Ronald Fonseca saíram do grupo e formaram Trazendo a Arca. Após troca de acusações, liminares, pastores como Silas Malafaia foram à TV e em defesa de Gregório fizeram críticas ao recente grupo.

Fonte: Creio

Achado arqueológico põe em causa idade da Bíblia


Uma peça de barro com inscrições está na origem da nova teoria. O Prof. Gershon Galil conseguiu decifrar as inscrições, demonstrando que são uma forma muito primitiva de hebraico, o que em si mesmo constitui uma surpresa uma vez que se pensava que o hebraico escrito só tinha sido desenvolvido mais tarde.

O conteúdo, segundo Galil, “diz respeito a escravos, viúvas e órfãos”, e é típico de textos bíblicos, reflectindo ideias que eram completamente desconhecidas nas culturas circundantes, o que reforça a ideia de que terá sido inspirado pelo texto bíblico.

Até agora defendia-se que a bíblia não podia ter sido escrita antes do século VI a.C. porque só nessa altura é que surgiu o hebraico escrito, mas esta descoberta coloca em dúvida essa teoria.

O académico adianta que a descoberta foi feita numa pequena comunidade, pelo que se existiam escribas nessa zona é natural que a escrita já tivesse suficientemente desenvolvida para lidar com textos complexos como a Bíblia.


Fonte: Renascença