Páginas

"Durma com ideias, acorde com atitude!"

Uma idéia inusitada despertou a indignação de parte dos fiéis freqüentadores da Paróquia Nossa Senhora das Dores, conhecida como Igreja dos Passarinhos, no bairro Bigorrilho, em Curitiba.

Tudo porque o padre Gabriel Figura idealizou a entrada de “Bela Vista” no interior da igreja para comemorar o Dia de Nossa Senhora das Dores, em 15 de setembro. O problema é que se trata de uma mula de 15 anos, que foi doada em comemoração ao dia da santa, que empresta o nome à paróquia.

No próximo domingo, está prevista uma procissão pelas ruas do bairro, com a participação do animal, que deveria adentrar ao interior da igreja, conduzindo o padre até o altar. No entanto, alguns fiéis se manifestaram contrários à idéia e levaram o caso ao conhecimento da Cúria Metropolitana de Curitiba.

A entidade confirmou que o arcebispo da Diocese de Curitiba, dom Moacir José Vitti, entrou em contato com o padre Gabriel para tentar fazê-lo desistir da idéia da mula entrar na igreja.

Mesmo assim, Figura utiliza a analogia simbólica do eqüino para justificar a iniciativa. “A mula é um animal bíblico que aparece em grandes momentos do cristianismo. Desde antes do nascimento de Cristo, quando Maria foge, até a entrada triunfal de Cristo, em Jerusalém, antes da crucificação, lá está a mula para conduzir os personagens históricos”, explica.

Para o padre, o protesto dos fiéis não tem fundamento religioso. “Disseram que a mula era indigna de entrar na igreja. Mas não sei por que ela seria indigna se o próprio Jesus foi aquecido por um burrinho, ao nascer”, afirma.

Alguns fiéis teriam levantado a possibilidade de o eqüino defecar no interior da igreja. Contudo, o padre afirma ter disponibilizado uma estrutura para atender qualquer imprevisto. “Pensamos previamente em tudo. Teríamos desde o veterinário até uma equipe de limpeza para qualquer incidente”, disse.

O doador da mula, Laertes Lourenço da Silva, confirma que o padre Figura “é um homem da natureza”. Silva conta que preparou um estábulo para a mula, que deve ficar permanentemente nas dependências da paróquia. “Tenho certeza de que o padre Gabriel vai cuidar bem dela, porque ele já possui cavalos na chácara da família dele, em Quitandinha”, diz.

O padre usa as analogias religiosas até para o número de animais que possui. “São 12 cavalos em função dos 12 apóstolos de Cristo e das 12 Tribos de Israel”, explica.

Mesmo com as manifestações contrárias, o padre, que se declara um amante dos animais, não deve desistir da idéia. Ele afirma que, para o Natal, alguns fiéis podem estar convertidos a favor da mula.

Fonte: Paraná Online


Jesus consolando um executivo falido. Jesus conversando com um oficial nazista. Jesus acompanhando um jogo de pôquer. Para mostrar que a mensagem cristã continua atual, um fotógrafo que fez carreira no mundo da moda escolheu, para um projeto multimídia, um carpinteiro cuja roupa mais elaborada é uma túnica folgada.

Desde o início do Cristianismo, é comum o uso de imagens para passar os ensinamentos do Evangelho. O que Michael Belk fez foi trazer Jesus para circunstâncias da modernidade. A re portagem da Gazeta do Povo mostrou as fotos de Journeys with the Messiah para padres e pastores, que aprovaram a ideia. “Je sus é verdadeiro Deus, mas também verdadeiro homem. Belk conseguiu transmitir o que deve ter sido esse homem Jesus e o que Ele pode significar para nós”, diz o padre Alexsander Lopes, assessor do Setor Juventude da Arqui­diocese de Curitiba.

Belk conta que já tinha uma carreira estabelecida quando se sentiu “provocado” por Deus. “Ele me perguntava o que eu estava fazendo com o que eu tinha conseguido”, afirma, em entrevista por e-mail à Gazeta do Povo. Daí veio a ideia de fotografar Jesus. Belk escolheu Sassi di Matera, a mesma cidade italiana onde Mel Gibson filmou A Paixão de Cristo, e encontrou um ator italiano para fazer o papel de Jesus. Tudo foi bancado por Belk e sua mulher.

Enquanto as fotos com crianças são unanimidade, outras causam espanto, caso de The second mile, em que Jesus, rifle às costas, conversa com um oficial nazista. “Jesus ensina a perdoar, ele jamais portaria uma arma”, diz o padre Alexsander. “Mas e se Ele pegou a arma do nazista, desarmando-o?”, sugere Vera Immich, pastora luterana. Seu marido, o também pastor Odair Braun, gostou das fotos. “Quando pregamos, nosso desafio é justamente trazer o texto bíblico para o dia-a-dia – é o que o fotógrafo fez”, afirma.

No entanto, o trabalho também recebeu algumas críticas. O padre Alexsander aponta um certo erotismo em algumas imagens. “Belk faz alguns ataques à religião institucional. É fácil dizer ‘Cristo sim, religião não’, mas isso leva ao relativismo. E Jesus disse que Ele era a Verdade”, afirma o padre Dana Lundburg, dos Le gionários de Cristo, sobre as legendas das fotos Embrace (em que Cristo aparece sorridente ao lado de clérigos de outras religiões) e Watch your step (uma releitura da parábola dos cegos guias de outros cegos). O sacerdote, no entanto, elogia a mensagem das fotos como “profunda e muito inspiradora”.

O objetivo de Belk é expor as fotos ao redor do mundo, em telões ou em locais muito frequentados, como terminais de transporte público. “O Brasil está na lista”, antecipa. Enquanto isso, o site terá de ser suficiente. “A equipe da loja virtual está trabalhando para podermos receber pedidos de outros países”, diz o fotógrafo, referindo-se ao livro e ao DVD.

Fonte: Gazeta do Povo / Gospel+ Via: Pavablog