Páginas

"Durma com ideias, acorde com atitude!"

Casar por quê?




Márcio de Souza



A sociedade estabeleceu um novo paradigma nas relações homem e mulher. Hoje, viver amigado é muito normal. Cada um na sua, morando juntos ou não, porém tendo uma vida sexual ativa e todas as conseqüências da mesma. Na Bíblia, a relação sexual é encarada como consumação do casamento. Mas se posso viver amigado, casar por quê?

Primeiro, casamento é um sinal de respeito. O casal que resolve se unir em núpcias, escolheu tal coisa porque um decidiu respeitar a individualidade e a privacidade do outro. Segundo, casamento é sinal de intimidade. Quando você transa com seu parceiro(a), você se faz uma só carne com ele(a). Se você tem mais de um parceiro(a), você está se despedaçando toda(o), deixando sua carne se misturar por diversas vezes com outra carne que não é a do seu cônjuge. Isso faz de você prostituta(o). Terceiro, casamento é sinal de compromisso. Quando você recebe seu parceiro em casamento, você está assumindo um compromisso de amar, respeitar, ser fiel e cúmplice nessa relação. Isso não é brincadeira, portanto o padrão estabelecido na Bíblia nos diz que a monogamia é o tipo de relação que Deus aprova e que o casamento é a instituição na qual ela se concretiza.

Eu poderia ficar aqui enumerando diversos motivos para que você entenda que o casamento é uma instituição divina, mas acho que basta dizer que Jesus resolveu tipificar sua relação com a igreja se denominando “Noivo”. Importe-se com a integridade do seu namorado(a), isso vai fazer diferença na hora do casamento, pode ter certeza disso!

Fonte: Márcio de Souza
http://www.genizahvirtual.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado pelo seu comentário!
Sua participação dá solidez a esta proposta, no entanto preste atenção:

É EXPRESSAMENTE PROIBIDA A POSTAGEM DE COMENTÁRIOS DISCRIMINATÓRIOS, RACISTAS, QUE OFENDAM A IMAGEM OU A MORAL OU DESRESPEITEM A LEGISLAÇÃO EM VIGOR.

INFORMAMOS QUE O IP DE TODOS AQUELES QUE NÃO RESPEITAREM AS REGRAS DESTE BLOG, ESTÃO DISPONÍVEIS ATRAVÉS DOS SITES DE ESTATÍSTICAS, E SERÃO FORNECIDOS À JUSTIÇA, CASO SEJAM REQUISITADOS POR AUTORIDADE LEGAL.
M. Rocha